« Voltar para página de notícias

PNP será critério de sustentabilidade no programa Precoce MS

Anúncio foi feito pelo superintendente da Semagro Rogério Bereta , durante a entrega dos Atestados de Certificação aos produtores da ASPNP realizada na última segunda-feira (11), no auditório da Famasul.

 

Ao abrir a solenidade, o presidente da Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Novilho Precoce (ASPNP), Nedson Rodrigues Pereira ressaltou a importância do Protocolo Novilho Precoce (PNP) para o produtor. “O animal de qualidade, bem acabado, jovem e com bom peso, nós já dominamos e com a implantação do protocolo vamos mostrar como ele é produzido. Ouvir produtores enfatizando que a fazenda está mais organizada, planejada é muito gratificante. Foram diversos treinamentos, cursos, visitas técnicas realizadas nas fazendas e que reflete no desempenho da equipe e consequentemente no ganho da produção da fazenda e tudo isso conseguimos por meio do protocolo”. O presidente falou ainda sobre a Novilho Precoce Carnes, já em atividade. “Resolvemos dar um passo à frente e comercializar nossas carcaças, assim temos o ciclo completo, da produção à gôndola”.

Presente no evento, o superintendente da Semagro, Rogério Bereta informou aos produtores que o PNP contará pontos como critério de sustentabilidade do Precoce MS. “O Precoce MS, programa de incentivo do Estado, tem como exigência a participação do produtor em programas de certificação e hoje pedimos que tenha o Boas Práticas Agropecuárias desenvolvido pela Embrapa e pleiteado junto ao governo, via Semagro, o PNP também será aceito”. Bereta ressaltou ainda que é possível conjugar sustentabilidade e produção. “Projetos como esse engrandecem a pecuária como um todo e podemos dizer que somos exemplos de sustentabilidade”.

Já o coordenador do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, Júlio César Sampaio destacou o diferencial da produção da Novilho Precoce. “O PNP veio para garantir e comprovar de fato a qualidade da carne. Enquanto parceiros, queremos que os produtores produzam em suas terras, com critérios mais adequados e assim atingir grandes mercados”.

O evento contou com a presença dos diretores, associados e colaboradores da ASPNP; do diretor-tesoureiro da Famasul, Marcelo Bertoni; do presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke; da chefe de pesquisa da Embrapa Gado de Corte, Lucimara Chiari; do presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado, Rodrigo Piva; do presidente da Acrissul, Jonatan Barbosa; além dos presidentes de sindicatos rurais, Ruy Fachini, de Campo Grande e João Borges, do município de Terenos.

PROTOCOLOS – A Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Novilho Precoce (ASPNP) desenvolve desde 2012 ações de sustentabilidade mediante a adoção de protocolos que garantam a produção de alimentos seguros, provenientes de sistemas de produção ambientalmente corretos, socialmente justos, economicamente viáveis e que priorizam o Bem-estar dos animais.

Entre as ações está o Protocolo Novilho Precoce de Sustentabilidade, hoje com a participação de 50 fazendas, distribuídas em 25 municípios do Estado, somando mais de 141 mil hectares e 123 mil cabeças de gado.

O primeiro protocolo adotado foi o de Boas Práticas Agropecuárias – Bovinos de Corte (BPA), desenvolvido pela Embrapa. A partir de 2013, 22 propriedades associadas iniciaram a implantação das BPAs, nas diferentes categorias Ouro, Prata e Bronze e outras ainda estão em processo de implantação. Após o desenvolvimento do trabalho de planejamento estratégico ficou estabelecido que a Novilho Precoce poderia ter um protocolo próprio e mais ajustado as demandas do grupo. Portanto, foi criado o PNP, em parceria com o WWF-Brasil e com os mesmos objetivos das BPAs, ou seja, de orientar os produtores associados quanto às exigências do mercado nacional e internacional de carnes.

De acordo com o superintendente da Novilho Precoce, Klauss Machareth, ambos são importantes ferramentas de gerenciamento que possibilita a identificação, pelo produtor, dos pontos que necessitam de melhorias, as quais poderão resultar em aumento da produtividade e da rentabilidade desses sistemas produtivos, além de garantir a sustentabilidade dos mesmos.

Klauss Machareth, superintendente Novilho Precoce

Implantação – As propriedades que participam do protocolo passam por uma série de cursos e treinamentos, que refletem diretamente na estrutura organizacional da fazenda.

Primeiros socorros; Segurança do Trabalho; NR31; Bem estar animal; Manejo racional; Manejo de pastagens são alguns cursos realizados nas fazendas. “Os treinamentos são voltados para gerentes, capatazes e o próprio produtor. A partir desses cursos inicia-se um novo processo na fazenda, ou seja, colaboradores capacitados e principalmente uma maior interação entre patrão e empregado”, afirma o superintendente.

Todas as atividades do protocolo contribuem para otimizar a produção da fazenda e a rentabilidade do produtor. “Quando o produtor participa de um protocolo de sustentabilidade, ele é o maior beneficiado, pois além de gerar benefícios dentro da fazenda e para o meio ambiente, o produto tem valor agregado no mercado”, ressalta Klauss.

 

Produtores certificados no PNP

 

 

 

COTAÇÕES
  • BOI R$ 141,97
  • SOJA R$ 78,40
  • MILHO R$ 38,00
  • VACA R$ 131,18
  • Referentes ao dia : 22/03/19
    Campo Grande Cotação da @ à vista

REVISTA
CANAL DO PRODUTOR




PARCEIROS