« Voltar para página de notícias

Boi gordo: dificuldade de alongar as escalas e preços firmes

No fechamento da última terça-feira (27/8) sete praças sofreram alterações de preços para o boi gordo, sendo cinco altas e duas baixas. Desde o começo de agosto valorizações ocorreram em 70,0% das praças pesquisadas. Em São Paulo, apesar de preços estáveis, os compradores estão encontrando maior dificuldade para negociar a boiada e estão sentindo certa resistência da ponta vendedora. Principalmente para novilhas que estão pouco ofertadas no estado. Para esta categoria, houve ofertas de compra de até R$2,00/@ acima da referência.

No norte do Tocantins a dificuldade em alongar as escalas forçou os compradores a ofertarem preços maiores para o boi gordo. A cotação fechou em R$148,00/@, a prazo e livre de Funrural, valorização de 2,1% desde o início do mês. Destaque também para as regiões sul de Minas Gerais e Marabá-PA, que tiveram altas de 1,0% e 1,7%, respectivamente, para o boi gordo no mesmo período. No Rio Grande do Sul, onde a desova de safra dos animais provenientes das pastagens de inverno tem colaborado para um cenário de maior oferta, houve desvalorização de 2,0% na comparação dia a dia.

Fonte: Scot Consultoria

COTAÇÕES
  • BOI R$ 145,81
  • MILHO R$ 37,08
  • VACA R$ 135,11
  • SOJA R$ 88,58
  • Referentes ao dia : 30/08/19
    Campo Grande Cotação da @ à vista

REVISTA
CANAL DO PRODUTOR




PARCEIROS